Notícias

Você já  ‘phubbou’ alguém hoje?

Você já ‘phubbou’ alguém hoje?

2 minutos Se você pensar bem, certamente irá responder nossa pergunta-título com um ‘sim, já phubbei alguém hoje’. Criado pela junção das palavras phone (celular) e snubbing (esnobar), o phubbing é o ato de ignorar ou deixar de conversar com alguém por estar focado no celular. Trocando em miúdos: se você presta mais atenção no que está no celular do que na pessoa ao lado, você está praticando phubbing. Esta percepção do celular como um aparelho inseparável e vital transforma a maneira como nos Continue lendo

Comunidades terapêuticas são estabelecimentos de saúde?

Comunidades terapêuticas são estabelecimentos de saúde?

2 minutos De acordo com a classificação do Ministério da Saúde, as comunidades terapêuticas deveriam figurar como locais voltados à promoção de práticas corporais, artísticas, culturais, físicas, promoção nutricional e educação em saúde. Na contramão dos princípios da reforma psiquiátrica e da política de redução de danos na saúde mental, no entanto, inspeções realizadas nos últimos anos demonstram que esses estabelecimentos têm figurado como ambientes de reprodução das práticas manicomiais e violação de direitos humanos. Diante deste quadro alarmante, o Conselho Federal de Psicologia Continue lendo

Mídia: do consumo doentio à abordagem equivocada sobre drogas

Mídia: do consumo doentio à abordagem equivocada sobre drogas

4 minutos Pesquisadores do ICMPA (International Center for Media & the Public Agenda), nos EUA, reuniram centenas de estudantes em 12 universidades do mundo e pediram para que eles não consumissem nenhum tipo de mídia durante 24 horas. Ou seja, eles não poderiam assistir televisão, ler jornais, usar o celular, internet, etc. Passado o período estipulado, os estudantes foram convidados a contar a experiência e declarar de qual meio de comunicação mais sentiram falta. De acordo com o resultado do estudo, a televisão foi Continue lendo

Planos de saúde X Dependência química

Planos de saúde X Dependência química

3 minutos Uma operadora de planos de saúde negou tratamento a um cliente diagnosticado com dependência química, alegando que o paciente não possuía cobertura contratual e apólice de seguro não estava adaptada à Lei Federal 9.656/98 – que dispõe sobre os planos e seguros privados de assistência à saúde. O custeio de uma internação psiquiátrica não está prevista nesta lei e, atualmente, a maioria dos planos de saúde apresentam cláusulas nos contratos que obrigam o usuário a custear até 50% da internação a partir do 31º dia. Continue lendo

Alcoólicos Anônimos – 70 anos com simpósio e até um robô

Alcoólicos Anônimos – 70 anos com simpósio e até um robô

2 minutos Em 1946 chegava ao Rio de Janeiro o publicitário americano Herbert L. (Herb). Alcoólico, procurou contatos do AA no país. Somente em  julho de 1947 ele recebeu o endereço de um AA, e alguns livretos e folhetos em espanhol. Em uma ata escrita no livro de registros do “Grupo de A.A. do Rio de Janeiro” menciona-se o 3º aniversário da fundação e que, então, “a referida data ficará, por tradição, como a data oficial da fundação do Grupo”. Em função disto, convencionou-se Continue lendo

Quanto menos açúcar, mais saúde psicológica

Quanto menos açúcar, mais saúde psicológica

2 minutos Já fomos alertados de que comer açúcar demais pode estragar os dentes, causar diabetes, obesidade, provocar colesterol alto, pressão alta, doenças cardíacas e possivelmente até o câncer. Mas não para por aí. Pelo menos é o que afirmam os pesquisadores da University College London (UCL). Eles analisaram o humor de mais de 8 mil pessoas em uma pesquisa britânica que durou três anos. Os participantes, todos funcionários públicos, foram monitorados de 1985 a 1988. Depois desse período eles preencheram um questionário periodicamente Continue lendo

Mortes acendem alerta para consumo de cafeína

Mortes acendem alerta para consumo de cafeína

3 minutos É possível uma overdose de cafeína? Antes de responder, saiba que recentemente o Japão registrou sua primeira morte causada por overdose de cafeína. De acordo com as análises, a vítima – um homem de 20 anos que trabalhava em um posto de gasolina no turno da madrugada – ingeria grandes quantidades de bebidas ricas em cafeína para se manter acordado. A autópsia, realizada pela Universidade de Fukuoka, não conseguiu determinar a quantidade de cafeína ingerida, nem o período de tempo levado para Continue lendo

Drinques animais

Drinques animais

1 minuto Em Sidney, Austrália, existe um programa de reabilitação voltado para animais, onde detentos cuidam de 250 espécies incluindo cangurus, gambás e pássaros. A equipe do Complexo Penitenciário de John Morony já cuidou também de répteis apreendidos durante operações policiais. Segundo agentes, alguns criminosos usam cobras venenosas para proteger drogas e armas escondidas. Foi o caso de uma píton de 1,8 metros que surgiu em meio a equipamentos e drogas encontrados em um local de produção de metanfetamina pela polícia australiana. O animal Continue lendo

Smart Drugs: tão perigosas quanto tentadoras

Smart Drugs: tão perigosas quanto tentadoras

4 minutos Usar drogas para melhorar a capacidade cognitiva não é, necessariamente, uma novidade. O ‘pai da psicologia’, Sigmund Freud, por exemplo, incentivava o uso de cocaína como estimulante há mais de um século. Na década de 1990 estudantes dos Estados Unidos retomaram tal cultura ingerindo metilfenidato e modafinila, princípios ativos de remédios como Ritalina e Modafinil, para estudar mais atentamente e obter notas melhores. Pouco depois, mais substâncias passaram a ser utilizadas por trabalhadores do Vale do Silício e do mercado financeiro americano. Continue lendo

Uma intrigante coincidência (?)

Uma intrigante coincidência (?)

2 minutos Segundo o jornal The New York Times, o National Institute on Drug Abuse, nos Estados Unidos, está com uma questão intrigante nas mãos. De acordo com um estudo dirigido pela diretora do instituto, Nora Volkow, o uso e a experimentação de drogas ilícitas entre jovens atingiu o nível mais baixo dos últimos 30 anos. Então você deve estar se perguntando: e o que há de tão intrigantes nisto? Acontece que a tecnologia pode ser um dos fatores que contribuíram para tal queda. Continue lendo