Outras dependências

Cada vez menos “inofensivos”

Cada vez menos “inofensivos”

1 minuto O cigarro comum causa 90% dos cânceres de pulmão e até infartos e AVCs. Minutos após parar de fumar, a pressão sanguínea e a pulsação do fumante voltam ao normal. Foi o que levou Magnus Lundback, do Instituto Karolinska, da universidade médica em Estocolmo, a investigar os cigarros eletrônicos que contêm nicotina. Em seu estudo, ele descobriu que o uso desses dispositivos contendo o estimulante pode causar um endurecimento das artérias, assim como aumentar os batimentos cardíacos e da pressão arterial. Lundback Continue lendo

Últim@ form@

Últim@ form@

1 minuto Em 2008, a China foi o primeiro país a reconhecer o vício em internet como um problema mental. Não são raros casos de jovens quem morrem em cybercafés após uma maratona de jogo on-line sem interrupção. Por isso, o governo do país comunista está aumentando os esforços para tratar o mal moderno. Campos militares estão sendo abertos para receber um grande número de viciados. Isso mesmo: uma espécie de centro de detenção onde os internos são obrigados a seguir diretrizes militares para abandonar o vício. Continue lendo

Extrapolando as fronteiras da saúde

Extrapolando as fronteiras da saúde

3 minutos Já mostramos aqui os alertas de profissionais de saúde sobre o aumento do risco de morte associado ao uso de drogas psiquiátricas, refletindo muito de perto o aumento de mortes relacionadas ao uso de opióides nos Estados Unidos. A questão já vinha sendo tratada como uma epidemia, inclusive com a formação de um grupo de trabalho especial coordenado pela Casa Branca. Afinal, segundo dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, desde o final da década de 1990 Continue lendo

Narguilé não tem NADA de inofensivo, alerta OMS

Narguilé não tem NADA de inofensivo, alerta OMS

2 minutos Criado na Índia no século 16, o narguilé é popular em países do sudeste asiático, do norte da África e do mediterrâneo Oriental. Desde os anos 1990, porém, o consumo desse cachimbo com água apresenta um consumo crescente no Ocidente, principalmente no Brasil, Estados Unidos e Europa. Mais do que conter água, o narguilé é um cachimbo que traz um fumo especial, feito com tabaco, melaço e frutas ou aromatizantes. O fumo é queimado em um fornilho e sua fumaça, após atravessar Continue lendo

Você já  ‘phubbou’ alguém hoje?

Você já ‘phubbou’ alguém hoje?

2 minutos Se você pensar bem, certamente irá responder nossa pergunta-título com um ‘sim, já phubbei alguém hoje’. Criado pela junção das palavras phone (celular) e snubbing (esnobar), o phubbing é o ato de ignorar ou deixar de conversar com alguém por estar focado no celular. Trocando em miúdos: se você presta mais atenção no que está no celular do que na pessoa ao lado, você está praticando phubbing. Esta percepção do celular como um aparelho inseparável e vital transforma a maneira como nos Continue lendo

“Molécula de Deus” invade a Europa

“Molécula de Deus” invade a Europa

2 minutos A ayahuasca vem conquistando adeptos em vários locais do mundo. Ao contrário do que ocorre no Brasil, porém, onde tem seu uso liberado para rituais religiosos, a bebida está se tornando famosa por suas propriedades entorpecentes na Europa. No litoral da Espanha, cidades como Tarifa ou Ibiza realizaram recentemente cerimônias para o consumo em solenidades com rito espiritual, onde vários grupos de pessoas se reuniram com o único objetivo de ingerir um alucinógeno que os xamãs da Amazônia já conhecem e utilizam. Continue lendo

Sedativo popular deve ser usado com grande cautela

Sedativo popular deve ser usado com grande cautela

3 minutos Estudos publicados na Public Health Reports, no American Journal of Public Health e no Vancouversun trazem alertas de profissionais de saúde sobre o aumento do risco de morte associado ao uso de drogas psiquiátricas. Comumente prescritos, Valium, Xanax e Rivotril possuem o composto químico Clonazepam, sedativo popular usado para tratar ansiedade e distúrbios do sono e que pertence a uma classe de drogas chamadas benzodiazepinas. Conhecida pela sigla BZD, a benzodiazepina representa uma classe de medicamentos psiquiátricos conhecidos como “tranquilizantes” que podem Continue lendo

“Mortes por desespero” – as ameaças sintéticas se renovam

“Mortes por desespero” – as ameaças sintéticas se renovam

2 minutos Conforme já alertamos, os Estados Unidos vivem uma epidemia de opiáceos tão devastadora quanto o boom da heroína do último terço do século passado. Somente em 2015 foram registradas 33.000 overdoses mortais por consumo de coquetéis de heroína e outros derivados do ópio – 73% a mais que em 2014. E a autoridade sanitária do país adverte que os números vêm aumentando. Como o mercado da droga está sempre um passo à frente da polícia e da ciência em sua capacidade de Continue lendo

Quando a diversão vira vício

Quando a diversão vira vício

3 minutos Apresentamos aqui um estudo feito pelo National Institute on Drug Abuse, nos Estados Unidos, que resultou num paradoxo: o resultado apontou que no uso e na experimentação de drogas ilícitas entre jovens e a tecnologia pode ser um dos fatores que contribuíram para tal queda. Acontece que cientistas contestaram o resultado, alegando que, em verdade, seria o inverso. Alguns leitores, através de nossas redes sociais, questionaram a postura dos cientistas. Mas eles (os cientistas) têm motivo de sobra para questionar o resultado, Continue lendo

Smart Drugs: tão perigosas quanto tentadoras

Smart Drugs: tão perigosas quanto tentadoras

4 minutos Usar drogas para melhorar a capacidade cognitiva não é, necessariamente, uma novidade. O ‘pai da psicologia’, Sigmund Freud, por exemplo, incentivava o uso de cocaína como estimulante há mais de um século. Na década de 1990 estudantes dos Estados Unidos retomaram tal cultura ingerindo metilfenidato e modafinila, princípios ativos de remédios como Ritalina e Modafinil, para estudar mais atentamente e obter notas melhores. Pouco depois, mais substâncias passaram a ser utilizadas por trabalhadores do Vale do Silício e do mercado financeiro americano. Continue lendo