Drogas: a luta mais difícil de Jon Jones

Tempo de leitura: 3 minutos

Jon Jones defendeu com sucesso – e pela oitava vez consecutiva – o título de campeão contra Daniel Cormier no UFC 182, que ocorreu em Las Vegas, garantindo, assim, o cinturão dos meio-pesados e líder do ranking peso por peso do UFC, que engloba todos os lutadores da franquia.

Mas a comemoração durou pouco. Exatos 3 dias.

Foi quando o site Yahoo.com revelou que Jones testou positivo para benzoilecgonina, principal componente da cocaína. De acordo com informações do Yahoo, um teste antidoping surpresa do dia 4 de dezembro de 2014 feito pela Comissão Atlética de Nevada detectou o uso da substância.

O campeão, entretanto, não corre o risco de perder o cinturão por conta do episódio, já que a benzoilecgonina não é proibida fora do período de competição. Por sua vez, a cocaína também não é considerada doping de performance pelas regras da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), entidade na qual a Comissão de Nevada se orienta para definir possíveis suspensões e punições.

Por isso, Jones não foi retirado do card do UFC 182, mas se internou em uma clínica de reabilitação para tratar o vício em drogas.

“Com o apoio da minha família, eu entrei em um programa de tratamento. Gostaria de pedir desculpas para minha noiva, meus filhos, assim como meus pais e irmãos pelo meu erro. Gostaria também de pedir desculpas ao UFC, aos meus treinadores, meus patrocinadores e, igualmente, aos meus fãs. Estou levando o tratamento muito a sério. Eu, ao lado da minha família, gostaria de privacidade neste momento”, declarou, em nota enviada ao Yahoo.

Em comunicado divulgado à imprensa, o presidente do UFC, Dana White, disse que está orgulhoso da decisão do lutador. “Estou orgulhoso pelo fato de Jon Jones ter decidido entrar em um programa de tratamento contra as drogas. Estou confiante de que ele irá voltar deste programa como o campeão que ele é”, afirmou o dirigente, que tinha declarado que gostaria de fazer três lutas com Jones em 2015.

Na mesma linha, a própria organização soltou um comunicado de apoio ao atleta, o principal do UFC no momento.

“Apoiamos o campeão dos meio-pesados do UFC, Jon Jones, em sua decisão de entrar em um programa de reabilitação contras as drogas. Estamos desapontados com sua falha no teste, mas aplaudimos sua decisão. Jon é um lutador forte e corajoso dentro do octógono, e esperamos que ele lute contra isso com equilíbrio e empenho. Esperamos que ele saia da reabilitação um homem melhor.”

Derrotado por Jones semana passada, Cormier também se manifestou, em sinal de apoio. “Estou ciente do teste de Jon e se há alguma coisa a dizer é isso: existe muita gente sobre quem você tem impacto, então, por favor, vamos juntos nessa. Boa sorte na sua reabilitação!”

O UFC já havia tido o ano passado marcado por escândalos de doping. A entidade resolveu começar a realizar testes surpresas e pegou, entre outros, os astros Chael Sonnen, Wanderlei Silva e Vitor Belfort. Tanto Sonnen quando Silva, que eram técnicos do reality show The Ultimate Fighter, anunciaram aposentadoria depois do escândalo.

 

Fonte: ESPN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *