“Não façam isso que não vale a pena”

Tempo de leitura: 3 minutos

Resultados de exames atestam que o irmão do funkeiro MC Gui, Gustavo Castanheira, morto na madrugada de 21 de abril de 2014, em São Paulo, faleceu após uma overdose de cocaína. “Quando li o laudo médico, entrei em choque. Nunca imaginei enterrar meu filho tão cedo”, disse a mãe do rapaz, Claudia Alvez, em entrevista ao Fantástico, da Rede Globo, que foi ao ar neste domingo, dia 25 de janeiro.

O laudo médico divulgado pela perícia revela que Gustavo morreu após insuficiência respiratória e que não havia feito uso de bebidas alcoólicas na data da morte.

Segundo relatos dos familiares, existia a desconfiança de que o rapaz estava fazendo uso de drogas. No entanto, a família não conseguia afirmar, pois ele escondia. “Já tinha visto ele usando maconha, só”, garante MC Gui.

A namorada do jovem, Giulia Gabrielle Morais, afirmou ao repórter que ele estava apresentando um comportamento diferente nos meses antes da morte. “Chegava em casa alterado e estava vomitando bastante. Mandamos ele procurar um médico” diz a garota.

Na época, a assessoria do cantor informou que Gustavo chegou ao Hospital Municipal do Jardim Iva, Zona Leste da capital, sem vida e teria sido vítima de uma parada cardíaca. O corpo foi levado ao IML para a realização de autópsia.

Segundo relatos da família, Gustavo havia sentido fortes dores no peito um dia antes de morrer. O pai do rapaz, Rogério da Silva Alves, disse que o filho reclamou de uma “pontada”. “Eu perguntei se ele queria ir ao médico. Mas o Gustavo disse que já tinha passado, estava melhor. Situação comum na vida de um jovem. Ele nunca teve nenhum problema de saúde, o que deixa a família sem saber o que aconteceu.”

No mesmo dia, Alves explica que o filho participou de um churrasco com a família. Durante a festa, consumiu uma pequena dose de uísque e três latas de energético. Logo após, o rapaz reclamou novamente de dores no peito e foi descansar na casa de um amigo. Mas, no caminho, a situação complicou e ele foi levado para um hospital da Zona Leste da capital. O rapaz teria sido vítima de uma parada cardíaca. “Ele dormiu e não voltou mais. A situação pegou a nossa família de surpresa.”

Alves diz que o filho nunca fumou cigarro. “Ele gostava de narguilé (cachimbo oriental). Nunca soube de envolvimento com drogas. Perguntei também para os amigos, mas todos negaram.”

Como forma de homenagear o irmão Gustavo Castanheira, de 17 anos, MC Gui fez sua primeira tatuagem. A frase estampada na parte de dentro de seu antebraço diz: “Gustavo, sonhar nunca desistir, ter fé, pois fácil não e é nem vai ser”, seguida de um símbolo, que representa o infinito, e uma nota musical. A letra é da música Ostentar Esperança.

“Todos os jovens, não faça isso que não vale a pena. Faz a gente sofrer, pai, mãe, família, irmão”, falou muito emocionado o pai do jovem ao programa dominical da Globo.

A polícia informou que a investigação continua. Agora, para saber quem foi o traficante que vendeu drogas para Gustavo.

 

Fonte: G1 via Fantástico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *