Uso de drogas aumenta chances para Mal de Parkinson

Tempo de leitura: 1 minuto

Para Entender… mostrou nesta matéria que vários países europeus têm relatado um aumento no uso e na produção de estimulantes do tipo anfetamina (ATS, na sigla em inglês).

Além de problemas de saúde particularmente relacionadas com a propagação do HIV e AIDS, um estudo do Centre for Addiction and Mental Heatlh (CAMH), no Canadá, revelou que pessoas que fazem uso abusivo de metanfetamina ou outros estimulantes sintéticos à base de anfetamina têm mais chances de desenvolver o Mal de Parkinson do que aqueles que não utilizam a substância.

Os pesquisadores analisaram mais de 300 mil registros de hospitais da Califórnia, nos Estados Unidos, com 16 anos de dados acumulados de cada paciente. Em seguida, os participantes foram divididos em dois grupos: um que não apresentava qualquer vício e outro que admitiu ter feito uso excessivo de drogas com metanfetamina e outros compostos à base de anfetamina.

Os resultados mostraram que, aqueles que fizeram uso da droga, apresentaram uma probabilidade 76% maior de desenvolver a doença de Parkinson se comparados aos que não evidenciavam tal característica.

O Mal de Parkinson é causado por uma deficiência na capacidade do cérebro de produzir uma substância química chamada dopamina. Caracterizada por tremores intensos e rigidez nos membros, a doença não tem cura.

O Mal, que acometeu personalidades como o ex-pugilista norte-americano Muhammad Ali e o ator brasileiro Paulo José, não tem cura e requer tratamento multidisciplinar com uso de antidepressivos e terapias alternativas para amenizar os traumas emocionais. São poucos os casos em que a doença atinge adultos jovens, como aconteceu com o ator canadense Michael J.Fox, que assumiu a doença aos 30 anos de idade.

 

Fonte: Minha Vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *