O processo de transformação da personalidade

Tempo de leitura: 4 minutos

A espiritualidade é um fator muito importante no tratamento da dependência química porque o desenvolvimento de novos valores ajuda o indivíduo a buscar a transformação que ele tanto procura e necessita.

Nesse difícil caminho da recuperação, o cultivo de um novo código de ética universal facilita a aquisição das mais altas qualidades humanas, como a paciência, compaixão, humildade, responsabilidade, etc.

Se, para a maioria das pessoas, já é difícil viver de acordo com esses valores, para os dependentes químicos é uma batalha diária. Devido ao caráter degenerativo da doença, tanto os homens quanto as mulheres tornam­se cada vez mais propensos a mentir, seduzir e manipular, podendo inclusive começar a roubar, prostituir­se ou, até mesmo, matar.

Mas a mudança pode acontecer e possui uma programação que serve para todos que verdadeiramente procuram melhorar sua vida. O primeiro passo é admitir o problema e buscar ajuda através de uma psicoterapia com um psicólogo especializado ou um grupo de ajuda mútua, como os Alcoólicos Anônimos ou os Narcóticos Anônimos.

A dificuldade em aceitar a ajuda

Aí se encontra um grande obstáculo: a maioria dos dependentes não aceita ajuda.

Isso faz parte do quadro clínico e, quanto maior a recusa, maior a gravidade de sua doença. Caso, porém, ele aceite um processo terapêutico, seu empenho vai ajudá­lo a adquirir o autoconhecimento necessário para saber o que lhe faz bem e traz felicidade e o que causa sofrimento e aflição.

Em seguida, começa a fase da mudança. O dependente deve procurar extinguir os antigos hábitos negativos que o fazem sofrer e substituí­los por hábitos saudáveis e positivos. Isso se torna possível gradativamente e um dia de cada vez. É uma busca constante para melhorar seus comportamentos, suas atitudes e pensamentos, procurando sempre estar em harmonia com as regras sociais, jurídicas e espirituais.

Depois vem o processo mais longo: disciplinar­se para manter ativa a transformação. Essa é fase de maior desafio, pois é enfrentando os problemas cotidianos e se relacionando verdadeiramente com as pessoas que se treina a serenidade e a personalidade se fortalece.

O valor da serenidade e da criatividade

A serenidade é uma ferramenta muito importante, pois é seu desenvolvimento que ajuda o dependente a aceitar as coisas que ele não pode modificar. É através dela que se cultiva a tolerância, a paciência e a humildade para entender que as coisas não são sempre do jeito que se quer, mas mesmo assim elas não perdem seu valor.

A serenidade treina a compaixão com outros seres vivos e é um grande antídoto contra a ira. Ter compaixão é colocar­se no lugar do outro e ver além do próprio umbigo. Transcendendo o próprio ego, é possível reduzir as expectativas projetadas no mundo e o indivíduo ganha a paz.

Para manter­se sereno também, o indivíduo deve praticar uma técnica muito poderosa conhecida como criatividade interior.

A criatividade exterior é bem conhecida por todos aqueles que transformam ou unificam objetos para conseguir uma nova função. Já a criatividade interior permite transformar nossos sentimentos, crenças ou pontos de vista, sempre buscando uma nova perspectiva. Esse novo ponto de vista permite ao dependente químico simbolizar os obstáculos que surgem no caminho da recuperação como preciosas oportunidades de aprendizado, ao invés de problemas e “chateação”.

Por fim, para manter uma atitude de responsabilidade com a vida, o indivíduo deve procurar fazer as coisas certas pelos motivos certos sem se preocupar que isso lhe traga recompensas ou punições. E, se vier o reconhecimento pelo trabalho, que seja a consequência de fazê­lo bem feito por gostar do que faz e, não, pela simples satisfação do ego.

Tudo isso porque uma das causas da dependência química é uma imensa fragilidade egóica, um sentimento de baixa auto­estima e culpa por não corresponder às expectativas das pessoas que amam. Esse padrão só é vencido por um trabalho conduzido lentamente, com muita sabedoria, e que deve ser sempre incentivado.

 

FREDERICO ECKSCHMIDT é psicólogo clínico, especializado em dependência química, da Clínica Alvorada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *